sexta-feira, 4 de julho de 2008


Nunca gostei de meias palavras e do amor pela metade.
Nunca gostei de mentiras.
Sou extrema pra tudo.
Meu sorriso sera sempre até as bochechas doerem, senão, não vale a pena, não é?
Mas o amor e contextos mal explicados eu ainda mantenho.
As palavras dançam dentro da minha cabeça e delas eu faço poesias não ditas.
Talvez eu as traduza com um olhar ou até mesmo no meu silêncio.
Tendo pena de quem perdeu, de quem doeu e se enganou.
Realizando o sonho de tantos de estar tão perto e dando minha cara a tapa para os que não entendem que isso aqui é bolha, faz parte de mim.
Eu sumo, eu reapareço.
Eu sou feita de fantasias e cores.
No fim das contas? Só resto eu.
A minha essência jamais mudará!
(Jéssica)

Não sou mais
Que a palavra escondida no meu beijo
Emprestada à carícia dos meus dedos
Flectida em silêncio nos teus olhos.
(Desconhecido)

2 comentários:

MH disse...

Nada pela metade é legal.
Nem o amor, nem o beijo, acho que ate o "deixar de gostar" tem que ser por inteiro..qto mais a entrega.

Luz&Paz disse...

Gostei muito.
(: