domingo, 23 de novembro de 2008

Ele:
Você me ensinou a te amar...
Agora como faço, com esse aperto que me esmaga o peito?
Os dias e os degraus cinzas cheiram o som do abandono...
A chuva, sim essa que não para de cair fala seu nome.
Em cada gota um murmúrio.
Palavras sem sentido!
Você foi, a coisa mais bonita que me aconteceu neste ano doído.
Você, meu néctar de papoula
És o meu vício
Vem pra mim, vemmmmmmmmmmmmmmmmmmm?


Ela:
Fogo, luz, chama...
Olhos vidrados
Coração pulsando
Vontade de tomá-lo
De entender e abraçá-lo

P.S; Mesmo sem nunca ter nos tocado e nos vimos, nos conhecemos em alma.

Vontade de você existir... De você existir!

- Jéssica R.

3 comentários:

Felinea disse...

se há vontade de abraçar, não precisa entender.

:)

beijocas felinas!!

Lorena Portela disse...

vem cá, mocinha... tu quem escreve essas paradinhas, é?

;**

• predicativa disse...

quanta mágia, quanta mágia!